sexta-feira, 30 de abril de 2010

Sobre doação

Ontem eu coloquei uma pá de cal no assunto doar filhotes. É engraçado como as pessoas NÃO valorizam o que ganham, mas endeusam o que escolhem (mesmo que errado) e pagam, nem que seja 1 real.
Os 2 filhotes que doei a amigos foram deixados de lado. Uma foi preterida por uma Shar-Pei malcriada e agressiva que veio depois (comprada), mas ao se tornar adulta virou um demônio (até já postei sobre esse epísódio há um tempo atrás). E o macho foi doado ao pedreiro que estava reformando a casa da minha outra amiga. Não que o pedreiro não vá cuidar dele, pode até ser que o ame e o alimente bem, etc, mas é a atitude das pessoas que me choca!
O erro foi meu, de me antecipar e oferecer um filhote de Sheltie para pessoas amigas que comentaram que queriam um cão. Existem mais de 300 raças e cada pessoa ou família se adapta e curte uma delas. Por que elas teriam que gostar de um Sheltie? estranho né, mas é real...pois é, não gostaram...
Como NADA nem NINGUÉM é unanimidade, por que um Sheltie haveria de ser. Lição aprendida: amigos, amigos, cachorros à parte. Sheltie tem que ser COMPRADO por quem já pesquisou e GAMOU na raça. São para poucos e seletos. Ponto final.

domingo, 25 de abril de 2010

1° Encontro de Criadores da raça Pastor de Shetland

Realizou-se ontem, 24 de abril, aqui em São Paulo, na casa da Vânia Telles, o primeiro encontro de criadores da raça. Apesar de todos haverem sido convidados, estiveram presentes: Cristiano, Maria Paula, Valdir e Sinara, Moyses, Lourdes, Arnaldo e Val, Robertinho e Dani, Hilda, Priscyla, Vânia, eu e o grande mestre Antonio Dalle Piage. Em primeiro lugar foi muito importante que tenham comparecido criadores de outros estados para agregar conosco, Isto só mostra o quanto estamos engajados no objetivo comum de aperfeiçoar a raça. Em segundo lugar todos nós gostaríamos de agradecer a maravilhosa e carinhosa acolhida da Vânia. Uma raridade nos dias de hoje.
Ficou definido que vamos montar o Clube Paulista do Pastor de Shetland, pois para que um clube especializado seja homologado, deve contar com pelo menos 20 criadores da raça no estado, e como inicialmente a maioria está concentrada aqui, optamos por unanimidade, iniciar o Clube no estado de São Paulo . Os criadores de outros estados então, poderão se unir aos 20 necessários do estado, se associarem e participarem de tudo conosco.
Foi muito importante podermos contar com os conselhos e orientações do Toninho, que com seus muitos anos de criação e direção de entidades cinófilas, nos guiou para a maioria dos passos a serem tomados daqui para a frente. Agora necessitamos cadastrar o maior número de criadores da raça no estado (bastando para isso terem canil aberto e terem registrado ao menos uma ninhada de Sheltie) para assinar o livro de fundação do clube, interessados podem me enviar e-mail: crisdogs@hotmail.com . Vamos também criar nosso estatuto e começar os trabalhos. As nossas conversas de ontem foram um termômetro do quanto temos a evoluir, de que temos sim opiniões divergentes, mas sobretudo, de quanto amor e vontade todos temos em comum pela raça.
Obrigada a todos os presentes





Foto 1 - da esq. para direita: Hilda, Toninho, eu, Maria Paula e Vânia
Foto 2 - da esq. para direita: Jayme esposo da Vânia (a quem tb agradecemos a acolhida), Dani e Robertinho, Cristiano (mais embaixo), Val e Arnaldo.
Foto 3 - da esq. para direita: Sinara, Valdir, Cris esposa do Moysés, Moysés, Priscyla e namorado e a Lourdes

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Filhote em casa

É bom de tempos em tempos ter um em casa. Mas não só nascendo e sendo vendido aos 50 dias. Tô falando de criar um. Educar, brincar, exercitar, limpar MUITA sujeira, não perder de vista aquele monte de vacinas e vermifugações da infância. De dar um monte de brinquedos e ossinhos e ainda assim encontrar sua havaiana roída, um pedaço do papel de parede arrancado. Acho que aqui em casa tem um "troféu" de cada bebê que passou. Meu pai ainda tem um óculos cuja haste foi estragada pelo Bryan, meu primeiro Sheltie, lá nos idos de 95. O móvel do banheiro tem marcas de dentinhos roedores, alguns dos bichinhos de pelúcia tem olhinhos arrancados. É gostoso mudar sua rotina por eles, inventar apelidos que ninguém entende, olhá-los dormindo, vê-los crescendo. Instiga seu lado maternal, recicla, alegra.
Um filhote não se importa de ser acordado às 3 da manhã e ainda assim te dar uma lambida no nariz, de fazer cocô em cima de uma peça da sua roupa, de te obrigar a sair da cama no feriado pra cuidar dele, de brincar sozinho te fazendo rir muito. Um filhote é energia pura, é diversão, é responsabilidade.
Um filhote é tudodebom.com!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Shelties x Collies

Esta foto me foi mandada há um tempão por um rapaz chamado André, dono do Sheltiezinho e foi tirada durante uma exposição. Mostra bem a diferença de tamanho entre as duas raças, achei interessante colocar aqui, especialmente para quem não tem muita noção da proporção entre as duas raças. Uma imagem vale mais que mil palavras, não é?

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Primeiro encontro de criadores da raça

Será realizado aqui em São Paulo dia 24 de abril, o primeiro encontro de criadores de Sheltie. É a semente de um futuro clube da raça sendo lançada. Vamos nos conhecer melhor, interagir com o pessoal de outros estados, trocar impressões e experiências. Minha idéia é montar um workshop mais pra frente, com profissionais especializados palestrando sobre diferentes temas como saúde, socialização, padrão da raça, manejo de criação, entre outros temas. Inicialmente vamos sentar juntos para um brainstorm. Agradeço à Vânia pela boa-vontade em promover o encontro em sua casa, um exemplo de dedicação. Estou muito animada! Posteriormente postarei um resumo dos temas discutidos.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Inseminação Artificial

A maioria das ninhadas de Sheltie nasce mediante a realização deste procedimento. Opta-se por realizá-lo por:  falta de libido do padreador, quando a cadela não aceita a cópula (timidez ou agressividade), ou quando acontece alguma incompatibilidade anatômica entre os parceiros (é muito comum as fêmeas dessa raça apresentarem vulvas muito pequenas, que dificultam muito o sucesso do acasalamento). Uma outra vantagem é não expor o padreador e matriz a doenças, especialmente a Brucelose, que é muito séria (para quem se interessar mais sobre o assunto, procurar sobre Brucella Canis) que causa entre outros problemas, abortos.
A inseminação deve ser realizada por um médico veterinário conhecedor do método, da anatomia e das particularidades envolvidas em reprodução de cães. Muitos cães dados como inférteis conseguem produzir ninhadas, após um estudo sonográfico, hormonal e citológico vaginal que permite detectar infecções, desvios anatômicos ou até mesmo determinar a data correta de ovulação (que em alguns casos têm um comportamento muito errático, tardio ou adiantado demais, fugindo das estatísticas).  Tratamentos para melhora da produção e qualidade de esperma também encontram-se disponíveis no caso dos machos.
O procedimento não é considerado barato, mas sua eficácia torna interessante o investimento, além da facilidade de que no caso de alguns profissionais, até atendimento em domicílio encontra-se disponível.
Todas as ninhadas do meu canil nascem mediante realização de inseminações artificiais. Para indicação de profissionais qualificados contate o seu veterinário de confiança ou criadores que se utilizem deste serviço.
Boa sorte!