sábado, 25 de dezembro de 2010

Não tem preço...

Repassando um e-mail que recebi hj, da Renata a quem doei a Jessica, uma Sheltie de 3 anos.

"Oi Cris!
Queria te desejar um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações, paz e saúde para você e sua família.
Obrigada por ter nos dado este presente incrível em 2010 que é a Jessica - ela está linda, feliz, e cada dia mais brincalhona e faceira.
Sabíamos que a adaptação ia ser um pouquinho mais longa, mas ela está ótima, adora passear e brincar, e é uma companheira maravilhosa.
Te mando uma foto de Feliz Natal dela e do irmão Hooky, e uma outra foto dela.
De novo, feliz natal, um ótimo ano novo, e muito obrigada por tudo em 2010!
Um abraço,
Renata, André, Jessica e Hooky."



Obrigada Renata, por alegrar meu dia! A Jessica merece a felicidade que vcs estão proporcionando a ela =)

domingo, 19 de dezembro de 2010

Feliz Natal!

Prezados amigos,
Desejo a todos um lindo natal em família. Previsão de filhotes somente para Março/Abril. Não tenho ninguém com ninhadas para indicar nesse momento, se tiver, postarei.
Obrigada!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Ully - 10 meses

Tá maravilhosa ou o que??? muito orgulho da minha menina! =)


Ully ficou em segundo lugar como "melhor promissor" de 2010 pelo ranking Dogshow!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Botas de natal

Pra colocar o presente do seu cãozinho! Confeccionadas em feltro. Também na cor vermelho sólido. Artesanais. R$ 25,00 (frete não incluso).

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

"Todo mundo vê as pingas que eu tomo...

...mas não vê os tombos que eu levo" um ditado popular muito antigo que retrata claramente o que é ser um criador de cães de raça. Para cada vitória visível, um monte de percalços, perdas, obstáculos. Quem pensa que um criador: não aposta em cães que não "viram", não paga um monte de dinheiro por um cruzamento que não gera prenhez, que não investe dinheiro num cão que quando adulto prova-se estéril ou portador de algum problema de saúde, não é obrigado a castrar uma linda cadela jovem por uma piometra, não se desaponta com o resultado de um cruzamento que parecia muito promissor, não perde um cão sensacional por um acidente, essa pessoa não faz a menor idéia do que é criar.
O que caracteriza um bom criador é a humildade de aceitar que sempre precisa melhorar e aprender, que nunca deve desistir diante dos obstáculos e que precisa ser responsável pelos animais que coloca no mercado. SE adiantasse jogar em alguém todas as frustrações e revoltas quando algo dá errado, ou "vomitar" textos amargos e repetitivos pela internet, seria bem mais fácil. Animal é vida, é combinação genética, não um produto. Infelizmente há quem se esqueça disso.
Realize uma compra responsável se vc quer um cão, faça uma venda responsável se vc é um criador e não jogue pedras no telhado do outro já que o seu também é de vidro!

domingo, 5 de dezembro de 2010

Viajando no final do ano

Já está passando da hora de reservar um hotel para seu cão ficar caso pretenda viajar e não possa levá-lo. A procura é grande e a oferta de bons lugares, com estrutura e qualidade não é alta. Busque indicações de quem já tenha usado o serviço, cuidado com locais que não lhe peçam comprovantes de vacina, que não façam exigência alguma para ficar com seu cão. Também não sou fã de hotéis que recebam inúmeros cães apenas de passagem. Verifique se há infra-estrutura de baias, atividades e compatibilidade de tamanho entre os cães que ficarão juntos. Veja também se o local é ensolarado, limpo e à prova de fugas. Cuidado com barganhas e "pacotes" mirabolantes.
Caso vá viajar com seu cão, não esqueça de providenciar uma caixa de transporte para o carro, uma coleira segura e leve uma mochilinha com água, prato, toalhas e um pouco de alimento. Pare a cada 2 horas, deixe o cão sair. Nunca permita que ele saia do carro sem coleira, mesmo que esteja acostumado. Num local desconhecido e próximo a rodovia, acidentes fatais podem ocorrer. Cuidado também com o calor, pois hipertermia mata! Se perceber que seu cão está sofrendo muito com o calor (sintomas: respiração muito ofegante e difícil, prostração, etc) pare, molhe-o, dê água em abundância e procure uma clínica veterinária.
Evite alimentar seu cão durante a viagem, faça apenas pequenos "lanches" a cada 4 horas para evitar que ele tenha hipoglicemia. Para cães que costumam enjoar demais, busque com seu veterinário uma indicação de protetor gástrico, como o omeprazol. Não dê Dramin, Plasil nem congêneres sem conversar também com o médico veterinário. Também NUNCA dê nenhum sedativo ao animal por conta própria.
Durante a queima de fogos atenção redobrada! MUITOS cães fogem, são atropelados, caem de sacadas com o desespero que passam nesse momento. Deixe seu cão bem isolado, seguro e com o máximo de conforto até essas comemorações acabarem.
Não leve seus cães a locais com grandes aglomerados, sem infra-estrutura ou que você não tenha certeza de que aceitem a presença de cães, pois você irá se prejudicar e se privar de se divertir e descansar. Se vai de avião, não esqueça que há uma burocracia de documentos que tem que ser preparada e também da necessidade de reserva prévia para o cão ir no vôo com você.
Deixá-lo com um parente ou amigo também é uma opção. Providencie que todos os acessórios, alimentos e brinquedos do seu cão permaneçam com ele no novo ambiente para ele não sofrer com a sua falta. Deixe também os números de telefone do vet de confiança e onde a pessoa deve levá-lo caso alguma emergência ocorra.
No mais, curta bastante e boa viagem!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Quanto custa um cão

Quando alguém decide ter um cão, deve pensar bem em quanto está disposto a investir de dinheiro nele. O preço dele é apenas o começo. Para completar a vacinação do filhote vão uns R$ 300 no mínimo, os medicamentos veterinários são mais caros que os humanos, exames, serviços, acessórios e alimentos não ficam atrás. Um saco de 3kg de boa ração custa por volta de R$ 60. Uma consulta pode variar de R$ 70 a R$ 160 (urgências) dependendo do profissional e da cidade. Uma diária de internação pode chegar a R$ 250. Não tem choro nem vela. Alguns cães podem precisar de adestradores comportamentalistas, outros de serviços especializados de acupuntura, fisioterapia. Há raças que precisam de muito trato especializado de pelagem que só pode ser feito em pet-shop.  Se você viajar vai precisar hospedá-lo as tarifas rolam a partir de R$ 40 o dia e assim vai. Se não pretende ter essas despesas, melhor comprar uma bolsa, um sapato, um I-Phone, sei lá..

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Estamos em luto

Pela partida prematura e inesperada de um cãozinho muito especial...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Flash chegou!

O novo padreador dos canis Von Kempten e Ibiza, vindo do Canil Scaramouche - RJ
Flash é filho da campeoníssima Grandgables Gotta Love the Look com o maravilhoso Lynphil´s Better Talk Now (propr.: Seafox Shelties).



domingo, 14 de novembro de 2010

Os "sins" e "nãos" da raça

Como as perguntas que recebo são sempre as mesmas, coloquei aqui um roteirinho pra que as pessoas possam entender mais e com rapidez, os principais aspectos da raça:

SIM                                                     
- adapta-se facilmente a apartamentto          
- gosta de criança                            
- é facilmente treinável                    
- TEM que tomar banho a cada 40 dias mais ou menos. Nada dessa história que a raça não pode tomar banho, por favor! É saudável e higiênico dar banho em seu cão.
- adapta-se à convivência com outros animais
- gosta demais de agradar o dono
- é calorento
- exige muito cuidado com os dentes
- é ciumento
- precisa de muita socialização quando filhote para não se tornar um adulto medroso
- tem uma saúde boa e de fácil manejo
- as fêmeas são boas parideiras e boas mães
- vivem bastante, média de 12 anos
- pode possuir uma variação grande de tamanho, de 33 a 39,5cm é tudo Sheltie do mesmo jeito.

NÃO
- gosta de ficar sozinho muitas horas por dia, todo dia
- late sem motivo, mas vocaliza quando estimulado por alegria, campainha ou outros
- faz amizade rapidamente com estranhos
- precisa de muito exercício, mas para cães de apartamento, 2 saídas diárias são fundamentais
- exige atenção direta, contenta-se em estar no mesmo local com o dono
- curte nadar, mas gosta de tomar chuva
- exige muito cuidado com a pelagem
- é um cão frágil
- é destruidor (roer e estragar coisas do dono e da casa)
- tem mau-cheiro
- chama-se mini-collie nem mini-lassie, é Pastor de Shetland (lê-se Chétland) ou Sheltie (lê-se Chéltie). Também não é Pastor de "SHIT"land pelo amor de Deus...rs
- importa o peso do Sheltie para o padrão da raça, apenas a altura. Pode-se encontrar um pequenino com estrutura forte que pese mais que um altão fininho e com pouca ossatura.

Conforme for me lembrando ou recebendo sugestões de coisas a acrescentar, melhorarei a lista!





               

sábado, 6 de novembro de 2010

Veterinários...

Perco completamente a paciência com veterinário que não manja NADA de cinofilia, não sabe o que é um padrão de raça (mal conhece as raças), implica com uma tala em orelha, com um bigode cortado, como se isso fosse alterar alguma coisa na vida do cão... Por isso, veterinário só se for também criador, #prontofalei

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Cães grandes convivendo com pequenos

Sempre me perguntam se há problema adquirir um Sheltie para conviver com um cão de grande porte, já existente na residência do interessado, dividindo um mesmo espaço. É o tipo da coisa delicada. Particularmente sou contra e prefiro não vender. Já tive um acidente de ataque de minha Rottweiler e perdi uma linda matriz importada, episódio que me deixou arrasada por semanas. Uma Kuvasz também levou a Sheltie de um amigo a óbito.  A Golden do amigo de um cliente, mordeu gravemente numa brincadeira brusca, um filhote que vendi. Também tive um episódio de numa brincadeira, 2 cães de raças e tamanhos diferentes se chocarem ao correrem um pra cada lado. Resultado: grave fratura de uma pata dianteira do menor.  Isto só para citar alguns casos. Os ataques são absolutamente imprevisíveis. Podem SIM ocorrer entre cães que aparentemente convivem de forma harmônica. Um dia um acorda de mau-humor e desconta no outro, também pode atacar para tentar defender o que considera seu (comida, brinquedos, entre outras coisas), por ciúme, etc.  Também existe a possibilidade de ocorrer o que chamamos de "agressividade redirecionada", que ocorre por exemplo quando os cães de dentro da casa, querem brigar com um que esteja passando próximo ao portão. Na impossibilidade de atacar o alvo, o cão ataca quem está mais perto dele, ou seja, o outro cão da casa. Em todos esses casos, quando se trata de brigas entre cães de mesmo porte e em pé de igualdade ainda vai, mas imagine se estivermos falando de um cão de 40 quilos versus um de 10? É de se esperar que o resultado seja realmente catastrófico. Portanto, ao me perguntarem se acho possível a convivência a longo prazo, minha resposta é NÃO. Cuidado também com hotéizinhos e day-cares que não fazem distinção de porte de cães ao hospedá-los e recreá-los. Cães de tamanhos diferentes devem ser criteriosamente separados para evitar acidentes.  São cuidados simples que evitam situações muito desagradáveis, dispendiosas e muitas vezes demasiadamente tristes...

domingo, 31 de outubro de 2010

Por uma ninhada maior...

Li um artigo muito interessante na Dog World deste mês, escrito por Caroline Coile. Ele descrevia como alguns fatores podem interferir no número de filhotes nascidos numa ninhada. O primeiro deles é a excessiva antecipação da inseminação. Segundo o artigo, depois da ovulação, ainda demora uns 2 dias até que os óvulos estejam prontos para serem fecundados. A monitoração hormonal via análise sanguínea, realizada por um veterinário pode ajudar a determinar o(s) dia(s) com maior probabilidade de sucesso para que o procedimento seja realizado.
Um segundo aspecto é a baixa contagem ou qualidade dos espermatozóides do padreador.  Nem sempre este fator é levado em conta, mas em caso de repetição de poucos filhotes numa ninhada, com diferentes fêmeas, vale a pena investigar.  O uso de sêmem resfriado ou congelado também reduz a chance de sucesso de uma ninhada mais numerosa.
A idade da matriz também conta. Fêmeas muito jovens ou bem mais velhas também mostram-se menos prolíferas.  Hipotireoidismo e obesidade na matriz também parece interferir sobremaneira nos resultados, gerando poucos ou mesmo nenhum filhote num acasalamento. É comum que ocorram abortos ou até mesmo nascimentos prematuros.
Por fim, uma pesquisa realizada durante 3 anos com as 15 principais raças registradas nos EUA pelo American Kennel Club, apresenta que a média de filhotes numa ninhada da raça Pastor de Shetland é de 4,3 filhotes.

sábado, 25 de setembro de 2010

Sobre os comentários nos posts do blog

Confesso que fiquei um bom tempo sem consultar os comentários feitos às minhas postagens, e qual não foi minha grata surpresa ao conferir que havia mais de 20 deles, sobre assuntos diversos e que me deixaram muito contente, tanto de perceber que estão lendo meus posts, como que estão sendo proveitosos! Vou tomar bem mais cuidado de responder a todos.
Infelizmente como nem tudo é perfeito, devido ao fato de eu ter ingênuamente deixado livre que "anônimos" postassem, havia um comentário infundado, claramente tendencioso e covarde, claro, sem rosto. Como é fácil agredir sem mostrar a cara, não???  Aproveito pra informar essa pessoa, que está sempre entrando aqui, lendo o que eu escrevo e se incomodando, que poste à vontade, mas agora vai ter que se identificar.
Obrigada às pessoas do bem (que felizmente suplantam enormemente o número de pessoas "incomodadas") pelo carinho.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Sapphire Von Kempten - 9 anos

Não é linda? As donas dela são Denise e Emilia Shitara. Sassá é filha do meu saudoso Robin...

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Dica da semana

Leve seu cão pra fazer uma limpeza de tártaro. Além dele ficar com um hálito bem melhor, você indiretamente estará acrescentando alguns anos à vida de seu peludo. A limpeza é feita em clínica veterinária, exige anestesia leve e equipamentos especiais. Quando ele estiver com os dentes limpinhos e a gengiva saudável, não deixe de realizar a profilaxia (cuidados preventivos), o máximo de vezes na semana que vc tiver oportunidade. Existem escovas, pastas de dente e até biscoitos enzimáticos especiais para a limpeza dos dentes dos cães, que podem ser adquiridas em pet-shops. Mãos à obra!

domingo, 12 de setembro de 2010




Blue merle pups, my favorites

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Reportagem muito interessante...

Homens que tem cachorro fazem mais sucesso com as mulheres. (publicado no site Vila Mulher do Terra em 16/08/10)

Todo mundo já sabia, mas agora a comprovação é científica. Cachorros ajudam as pessoas a melhorar suas interações humanas. Melhor, ajudam os homens a terem mais chances com as mulheres.
Perguntar se o cachorrinho tem telefone pode mesmo ser uma ótima cantada.
No final de 2008, os franceses Nicolas Guéguen e Serge Ciccotti publicaram no jornal "Anthrozoos", o resultado de experimentos que levavam em consideração a companhia ou não de um cachorro. E os resultados, apesar de não surpreenderem, mostram o poder dos cãezinhos para a aproximação das pessoas.
No primeiro teste, um homem pediu dinheiro na rua para 80 pedestres. Sem o cachorrinho, apenas 9 doaram. Com o peludo, 28! Mulheres levaram a melhor nessa. Quando uma pediu dinheiro com o bichinho ao lado, mais da metade dos 100 abordados fez doações, de valores ainda maiores.
No outro teste, um homem derrubou moedas no chão para ver se as pessoas pegariam para ele. De 40, 23 ajudaram quando ele estava desacompanhado. O número subiu para 35 quando tinha um cãozinho na guia.
Mas o melhor mesmo foi o teste do telefone - já que os dois acima envolvem fatores como humanidade e solidariedade. Nesse último, jovens mulheres foram abordadas na rua por um homem que pedia seu telefone. Apenas 11 de 120 deram o número quando o cidadão estava sem o melhor amigo. E 34 passaram o contato quando viu que o cara de pau tinha um cachorro. É mole!
Guéguen e Ciccotti concluíram que a presença do cachorro estava associada a uma alta taxa de bondade e confiança. "Está é uma descoberta incrível. A facilidade de um homem conseguir o telefone de uma mulher é três vezes maior se ele tiver a companhia de um cachorro!" E é mesmo.
O Vila Dois perguntou para algumas mulheres a opinião e adivinhe? Unanimidade. Se o gato tiver um cachorro, ganha o coração da moça rapidinho! "A gente já pressupõe que eles são mais sensíveis se dizem que tem um", afirmou Mariana, de 26 anos. "E dá a impressão de mais responsabilidade também, já que ter um animal de estimação demanda cuidados especiais", completou Roberta, de 30.
Por Sabrina Passos (MBPress)

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Lidando com a perda do seu cão

Quando perdemos um ser amado, nos vem aquela sensação de impotência, ficamos incrédulos e a tristeza imediatamente invade o coração da gente. Nada diferente de quando perdemos um cão de estimação. Tenha ele ficado 5 meses ou 15 anos ao lado da gente e de nossa família, falecido de causas naturais ou por uma doença ou acidente, certamente existe toda uma história, momentos bons, aprendizados, fotos, memórias. Não há necessidade de ignorar esses sentimentos, é perfeitamente plausível sofrer por um animalzinho. Guardar luto, querer sepultá-lo ou cremá-lo, homenageá-lo, tudo como se fosse realmente um ente querido, e quem disse que não é?
Uma ocasião dessas também não deixa de ser uma oportunidade de ensinar às crianças que conviviam com ele, sobre a fragilidade da vida, sobre o fato de que a morte é inevitável e que um dia todos poderemos nos encontrar num outro plano. Esconder a verdade só gera ansiedade e desconfiança nelas.
Outra coisa interessante, é que geralmente as pessoas quando perdem um animalzinho muito amado dizem que nunca mais irão querer outro. Não se castigue desta forma, privando-se de se apaixonar por um outro bichinho que possa lhe dar tantas alegrias quanto lhe for possível. Não é questão de substituir, jamais, mas sim permitir-se amar e ser amado por um outro peludinho. Ter sua companhia, cuidar dele, se divertir, ensiná-lo, rir com ele. Ter um cão de estimação é uma terapia, uma alegria, um privilégio. Aproveite!

"A vida dos cães é demasiado curta. Na verdade, é o único defeito que têm." Agnes Sligh Turnbull

domingo, 25 de julho de 2010

Bya e sua nova família


Bya, indo pra sua nova casa em Primavera - SP. Ela foi doada para a Elany e sua filha que vieram de longe para buscá-la e serão suas novas mamães. Bya vai ter a companhia de um monte de outros bichinhos e uma vida de princesa, como ela merece. Que sejam muito felizes!!! :o)))

quarta-feira, 21 de julho de 2010

...

Enquanto uns se esforçam, inovam e fazem a diferença, outros apenas tentam pegar carona e tirar vantagem. Por essas e outras, a frase "quanto mais eu conheço os homens mais eu gosto do meu cachorro" é uma verdade universal. No further comments...

terça-feira, 13 de julho de 2010

Ully aos 5 meses

Ully Kempten Ibiza Kivi , a "Ully" linda aos 5 meses é filha do Jack, Wee Royal Shetlanders Watch Me, de  propriedade nossa, Canil Von Kempten e do Canil Ibiza . Jack está disponível como padreador e está nos proporcionando lindos filhotes. Contato: 9974-3159

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Campeonato mundial de agility 2010

Mais uma vez, Shelties que de uma forma ou de outra são provenientes da minha criação, classificaram-se como melhores duplas, para integrar a Seleção que representará o Brasil no Mundial de Agility 2010, de 30 de Setembro a 3 de Outubro, em Rieden, Alemanha:

Categoria Mini

Kátia e Candy (Pastor de Shetland) : Candy é filha de uma cadela de minha criação.

Paulo e Blanka (Pastor de Shetland) : Blanka é nascida aqui em casa.

Tanto Candy quanto Blanka têm um currículo esportivo invejável, incluindo títulos mundiais.

Categoria Midi

Kátia e Carol (Pastor de Shetland) : Carol é filha de uma cadela de minha criação.

Mais uma vez com muito orgulho desejo boa sorte pra essa turma!!! :o))))

quarta-feira, 23 de junho de 2010

III International Pet Meeting

Realizado de 21 a 23 de Junho, por iniciativa da Anfalpet em conjunto com a Fiesp. O Congresso foi gratuito e direcionado a veterinários, lojistas e envolvidos na indústria pet. As palestras foram de variados temas, mas mais especificamente sobre tendências mundiais para este mercado, as novidades e também como começar e/ou melhorar um negócio do ramo pet. Foram enfatizadas pesquisas, finanças, treinamento, marketing entre outros temas. Tive o prazer de participar e queria parabenizar os organizadores e palestrantes pela brilhante performance. Certamente saí de lá com muitas idéias e novas perspectivas.

sábado, 19 de junho de 2010

EXPO CPC




Hoje, 19 de junho foi a expo do Clube Paulistano de Cinofilia. Minha princesa Sweet Scarlet Von Kempten "Nenê", foi melhor fêmea e reserva da raça nas 3 pistas e um 4º lugar no grupo jovem. :o)


quinta-feira, 17 de junho de 2010

Publicação especializada na raça


Pra quem se interessar em saber um pouco como é a criação da raça no país de origem e em outros que seguem o padrão da FCI, a Global Shelties Magazine é uma revista eletrônica inglesa (formato PDF), com reportagens, notícias, artigos, etc. Eu mesma tive a oportunidade de participar na edição de março de 2009, página 34, falando um pouco sobre a criação de Shelties no Brasil. Para ler edições antigas e atuais, basta baixar...segue o link: http://www.globalsheltiesmagazine.org/
Aproveite!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Abaixo o preconceito!

Gostaria de entender o por quê das pessoas cismarem que é melhor uma fêmea como cão de companhia do que um macho, ou que um filhote de 4 meses "está velho" para ser vendido e que não se adaptará ao seu novo lar...isso pra citar apenas algumas das pérolas que ouço.
Gente, vamos deixar os pré-conceitos de lado e analisar os fatos de forma real.
Fêmea não é melhor que macho. Eu diria que a única vantagem efetiva é a urina ter um pouco menos de odor. Qual seu interesse ao adquirir um cão? Companhia? Pode optar tranquilamente por um macho. São mais interativos, curiosos, mais exuberantes, perdem bem menos pelagem, não têm cio (e consequentemente sangramento e mudanças de comportamento), aprendem com a mesma desenvoltura a fazer as necessidades no local certo, não desenvolvem câncer de mama e não têm útero pra ter piometra (hiper comum em cadelas mais velhas, independente de ter ou não acasalado), não demarcam território aleatoriamente (posso entrar nesse mérito depois se for necessário). Agora, se sua intenção é reprodução, aí sim concordo que se tem que optar por uma fêmea. Por nenhuma outra razão. É claro que a opção é de cada um, mas meu objetivo é expor a verdade, especialmente aos leigos, de como são os cães.
Segundo ponto: filhotes mais velhos. Desde que proveniente de um canil cuidadoso e que conheça a raça e suas peculiaridades e necessidades, pode comprar sem medo. Filhotes até 3 meses encontram-se no período da "janela de socialização" ou seja, em poucas palavras, não têm medo de quase nada e são hiper curiosos, essa é a definição de filhote que a maioria das pessoas têm quando pensam num cãozinho. Já após os 3 meses é normal e esperado que o cão seja mais ressabiado e um pouco mais lento para fazer amizade, mas isso não quer dizer absolutamente nada! Ele certamente compensará o tempo que não estava ainda com você, te amando da mesma forma e aprendendo tudo o que você lhe ensinar. Um filhote mais velho inclusive é uma boa pedida, pois você poderá ter uma melhor noção de como ele ficará quando adulto, economizará em vacinas, consultas e em tempo que terá que esperar até ele estar completamente imunizado para poder passear, fazer esporte (agility por exemplo), ir a um day-care, etc.
Abra sua mente e consequentemente seu coração, sem preconceitos.

domingo, 13 de junho de 2010

A verdade custe o que custar...será?

É engraçado como a verdade pode incomodar...
Recebo muitas ligações por dia, relacionadas a interesse em compra de filhotes, ou "consultoria" sobre a raça, seja em termos de saúde, comportamento, manejo, etc. Mas já reparei que desapontei (para assim dizer o mínimo) muita gente. Estranho esse desapontamento, por que o que desagradou foi ouvir a verdade. A verdade sobre a raça, seu temperamento, com que tipo de pessoas ela combina, como interage, o que você não vai conseguir fazer com um Sheltie, do que ele precisa, se o cão da pessoa é um bom exemplar, que tá cheio de fulano não é criador da raça e sim vendedor de cachorro, entre outras coisas. Parece que quando a pessoa liga, inconscientemente ela já imagina o que vai ouvir e não acha que vai ouvir nada além daquilo. Um outro discurso assusta e incomoda, e muitas vezes quem está do outro lado acaba encarando de forma pessoal...não é!  Não sei amenizar, faltei na aula de "política de boa vizinhança", não tenho necessidade de ser aceita e adorada por todo mundo, muito menos preciso vender correndo os (poucos) filhotes que nascem por ano aqui em casa, além de expressamente não querer que Shelties se popularizem de forma errática. Mas quando tenho certeza do que estou falando, sou direta.
Eu encaro isso muito a sério para não agir dessa forma. Não sou comerciante, sou apaixonada por essa raça. Não humanizo meus cães (e me assusto com quem faz isso), mas eles são a minha prioridade. Não iludo meus clientes ou quem me pede opinião. É uma questão de responsabilidade. Tem quem ache ótimo, tem quem fique triste, ou bravo. Não dá pra agradar todo mundo. Acho que eu faço exatamente como gostaria que fizessem comigo. Sei lá...

sábado, 5 de junho de 2010

Sheltie Black & Tan


Uma das cores descritas no padrão da raça como aceita é o Black & Tan. Esta coloração aparentemente perdeu-se desde os anos 30 especialmente na linhagem americana. Não nasce nenhum cão desta cor há décadas, mesmo sem esforço para evitar que eles apareçam. Nesta foto um Sheltie sueco que viveu há cerca de 70 anos atrás. Acho estranho manterem no padrão, por que afinal o padrão deve seguir a criação e não o contrário. Se não há mais BL&Tan no plantel mundial, não deveria continuar... 

domingo, 30 de maio de 2010

Filhotes de Cruz-credo com Deus-me-livre

Confesso que ando assustada com a falta de critério que o pessoal do agility está cruzando os Shelties. A gente tenta construir de um lado e o povo detona do outro...complicado. Temperamento e conformação DEVEM andar juntos. Há cães que não têm nada a agregar à raça. Ninguém sabe tudo, ninguém tem todas as respostas, mas infelizmente tem gente que mesmo sem querer, está fazendo um desfavor à raça obtendo filhotes de animais que deveriam estar castrados. Pronto, falei. E a propósito, sei que desagradarei alguns e não vou argumentar sobre o fato, além de não ter me referido a ninguém em particular.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Obesidade

Tenho recebido alguns e-mails de proprietários preocupados com os quilos a mais de seus Shelties. Tenho poucas considerações a fazer, afinal não sou veterinária, mas minha experiência com manejo de canil me permite dar algumas dicas. Num cão saudável, as costelas podem ser sentidas na palpação simples. Um gorducho as tem "camufladas" por uma camada firme de gordura.
Um cão só engorda por falta de atividade e excesso de comida ou por algum problema metabólico. Se ele está apenas um pouco acima do peso, e não apresenta outros problemas, como por exemplo de pele ou queda de pelos, apenas corte a zero o fornecimento de "petiscos" e restrinja levemente a quantidade da ração (a comum mesmo). A quantidade sugerida nos sacos de ração geralmente são superiores ao que seu cão realmente precisa, fique atento. Aumente a atividade dele, saindo ao menos duas vezes ao dia, brinque de bolinha, solte-o com outros cães ativos que o incentivem a correr e brincar. Pese-o 1 vez por semana e repare se está surtindo algum efeito. É importante que a ração fornecida seja de excelente qualidade para que nutra, permita uma boa digestibilidade com uma menor quantidade e regularize o trânsito intestinal.
Cães com um nível de obesidade maior precisam ser consultados por um veterinário a fim de que sejam feitas dosagens de hormônios da tireóide, pois o cão pode apresentar hipotireoidismo (que além da obesidade causa problemas de pele e pelagem opaca), bem como uma análise do fígado (órgão muito prejudicado nos cães obesos), função respiratória, cardíaca e ortopédica. Podem ser prescritas dietas especiais, como por exemplo: comida com adição de suplementos ou uso de rações dietéticas (que não são as "light" comuns vendidas em qualquer pet shop) e outros medicamentos que se façam necessários para corrigir o metabolismo, melhorar as articulações (que em animais muito gordos podem encontrar-se prejudicadas) e a qualidade de vida geral do cão.
Cães obesos vivem bem menos do que um de peso normal, cuide do seu!

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Sobre doação

Ontem eu coloquei uma pá de cal no assunto doar filhotes. É engraçado como as pessoas NÃO valorizam o que ganham, mas endeusam o que escolhem (mesmo que errado) e pagam, nem que seja 1 real.
Os 2 filhotes que doei a amigos foram deixados de lado. Uma foi preterida por uma Shar-Pei malcriada e agressiva que veio depois (comprada), mas ao se tornar adulta virou um demônio (até já postei sobre esse epísódio há um tempo atrás). E o macho foi doado ao pedreiro que estava reformando a casa da minha outra amiga. Não que o pedreiro não vá cuidar dele, pode até ser que o ame e o alimente bem, etc, mas é a atitude das pessoas que me choca!
O erro foi meu, de me antecipar e oferecer um filhote de Sheltie para pessoas amigas que comentaram que queriam um cão. Existem mais de 300 raças e cada pessoa ou família se adapta e curte uma delas. Por que elas teriam que gostar de um Sheltie? estranho né, mas é real...pois é, não gostaram...
Como NADA nem NINGUÉM é unanimidade, por que um Sheltie haveria de ser. Lição aprendida: amigos, amigos, cachorros à parte. Sheltie tem que ser COMPRADO por quem já pesquisou e GAMOU na raça. São para poucos e seletos. Ponto final.

domingo, 25 de abril de 2010

1° Encontro de Criadores da raça Pastor de Shetland

Realizou-se ontem, 24 de abril, aqui em São Paulo, na casa da Vânia Telles, o primeiro encontro de criadores da raça. Apesar de todos haverem sido convidados, estiveram presentes: Cristiano, Maria Paula, Valdir e Sinara, Moyses, Lourdes, Arnaldo e Val, Robertinho e Dani, Hilda, Priscyla, Vânia, eu e o grande mestre Antonio Dalle Piage. Em primeiro lugar foi muito importante que tenham comparecido criadores de outros estados para agregar conosco, Isto só mostra o quanto estamos engajados no objetivo comum de aperfeiçoar a raça. Em segundo lugar todos nós gostaríamos de agradecer a maravilhosa e carinhosa acolhida da Vânia. Uma raridade nos dias de hoje.
Ficou definido que vamos montar o Clube Paulista do Pastor de Shetland, pois para que um clube especializado seja homologado, deve contar com pelo menos 20 criadores da raça no estado, e como inicialmente a maioria está concentrada aqui, optamos por unanimidade, iniciar o Clube no estado de São Paulo . Os criadores de outros estados então, poderão se unir aos 20 necessários do estado, se associarem e participarem de tudo conosco.
Foi muito importante podermos contar com os conselhos e orientações do Toninho, que com seus muitos anos de criação e direção de entidades cinófilas, nos guiou para a maioria dos passos a serem tomados daqui para a frente. Agora necessitamos cadastrar o maior número de criadores da raça no estado (bastando para isso terem canil aberto e terem registrado ao menos uma ninhada de Sheltie) para assinar o livro de fundação do clube, interessados podem me enviar e-mail: crisdogs@hotmail.com . Vamos também criar nosso estatuto e começar os trabalhos. As nossas conversas de ontem foram um termômetro do quanto temos a evoluir, de que temos sim opiniões divergentes, mas sobretudo, de quanto amor e vontade todos temos em comum pela raça.
Obrigada a todos os presentes





Foto 1 - da esq. para direita: Hilda, Toninho, eu, Maria Paula e Vânia
Foto 2 - da esq. para direita: Jayme esposo da Vânia (a quem tb agradecemos a acolhida), Dani e Robertinho, Cristiano (mais embaixo), Val e Arnaldo.
Foto 3 - da esq. para direita: Sinara, Valdir, Cris esposa do Moysés, Moysés, Priscyla e namorado e a Lourdes

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Filhote em casa

É bom de tempos em tempos ter um em casa. Mas não só nascendo e sendo vendido aos 50 dias. Tô falando de criar um. Educar, brincar, exercitar, limpar MUITA sujeira, não perder de vista aquele monte de vacinas e vermifugações da infância. De dar um monte de brinquedos e ossinhos e ainda assim encontrar sua havaiana roída, um pedaço do papel de parede arrancado. Acho que aqui em casa tem um "troféu" de cada bebê que passou. Meu pai ainda tem um óculos cuja haste foi estragada pelo Bryan, meu primeiro Sheltie, lá nos idos de 95. O móvel do banheiro tem marcas de dentinhos roedores, alguns dos bichinhos de pelúcia tem olhinhos arrancados. É gostoso mudar sua rotina por eles, inventar apelidos que ninguém entende, olhá-los dormindo, vê-los crescendo. Instiga seu lado maternal, recicla, alegra.
Um filhote não se importa de ser acordado às 3 da manhã e ainda assim te dar uma lambida no nariz, de fazer cocô em cima de uma peça da sua roupa, de te obrigar a sair da cama no feriado pra cuidar dele, de brincar sozinho te fazendo rir muito. Um filhote é energia pura, é diversão, é responsabilidade.
Um filhote é tudodebom.com!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Shelties x Collies

Esta foto me foi mandada há um tempão por um rapaz chamado André, dono do Sheltiezinho e foi tirada durante uma exposição. Mostra bem a diferença de tamanho entre as duas raças, achei interessante colocar aqui, especialmente para quem não tem muita noção da proporção entre as duas raças. Uma imagem vale mais que mil palavras, não é?

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Primeiro encontro de criadores da raça

Será realizado aqui em São Paulo dia 24 de abril, o primeiro encontro de criadores de Sheltie. É a semente de um futuro clube da raça sendo lançada. Vamos nos conhecer melhor, interagir com o pessoal de outros estados, trocar impressões e experiências. Minha idéia é montar um workshop mais pra frente, com profissionais especializados palestrando sobre diferentes temas como saúde, socialização, padrão da raça, manejo de criação, entre outros temas. Inicialmente vamos sentar juntos para um brainstorm. Agradeço à Vânia pela boa-vontade em promover o encontro em sua casa, um exemplo de dedicação. Estou muito animada! Posteriormente postarei um resumo dos temas discutidos.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Inseminação Artificial

A maioria das ninhadas de Sheltie nasce mediante a realização deste procedimento. Opta-se por realizá-lo por:  falta de libido do padreador, quando a cadela não aceita a cópula (timidez ou agressividade), ou quando acontece alguma incompatibilidade anatômica entre os parceiros (é muito comum as fêmeas dessa raça apresentarem vulvas muito pequenas, que dificultam muito o sucesso do acasalamento). Uma outra vantagem é não expor o padreador e matriz a doenças, especialmente a Brucelose, que é muito séria (para quem se interessar mais sobre o assunto, procurar sobre Brucella Canis) que causa entre outros problemas, abortos.
A inseminação deve ser realizada por um médico veterinário conhecedor do método, da anatomia e das particularidades envolvidas em reprodução de cães. Muitos cães dados como inférteis conseguem produzir ninhadas, após um estudo sonográfico, hormonal e citológico vaginal que permite detectar infecções, desvios anatômicos ou até mesmo determinar a data correta de ovulação (que em alguns casos têm um comportamento muito errático, tardio ou adiantado demais, fugindo das estatísticas).  Tratamentos para melhora da produção e qualidade de esperma também encontram-se disponíveis no caso dos machos.
O procedimento não é considerado barato, mas sua eficácia torna interessante o investimento, além da facilidade de que no caso de alguns profissionais, até atendimento em domicílio encontra-se disponível.
Todas as ninhadas do meu canil nascem mediante realização de inseminações artificiais. Para indicação de profissionais qualificados contate o seu veterinário de confiança ou criadores que se utilizem deste serviço.
Boa sorte!

domingo, 21 de março de 2010

Expo KCSP

Realizada num ótimo lugar, ao lado do Pet Center Marginal da Tancredo Neves. Espaço claro, arejado (apesar do calor), boa infra-estrutura para alimentação, arquibancadas e estacionamento gratuito. Bem melhor que os absurdos 20 reais do Centro Imigrantes.
Tínhamos 12 cães em pista, uma quantidade substanciosa para a raça. Foi ótimo rever os amigos mais uma vez, rir, bater papo e fazer o que a gente tanto gosta...falar de cachorro! :o)
Minha cachorrinha Scarlet (ou Nenê para os íntimos), carequíssima em plena muda de pelos, e numa TPM de dar gosto não pegou nem resfriado, mas valeu para fazer número. Sem problema. Em alguns meses ela estará peludona e competitiva.
Os resultados não surpreenderam. Em cada pista os cães se comportaram de uma forma diferente e foram premiados como tal. Meus parabéns à Sinara e Valdir que levaram 1 melhor da raça com o Brandy e outro com a Gwen. Merecidos. Na outra pista o Super da Janaína, criação da Jocelyne estava um desbunde e se apresentou muito bem, ganhando melhor macho. Infelizmente o juiz não foi corajoso o suficiente para dar o melhor da raça a ele (um fihotão), em cima de uma fêmea de 5 anos, mas tenho minhas teorias...abafa o caso.
Fiquei muito contente também por que vou trazer pra casa mais uma tricolorzinha, a Ully, filha do Jack com a Babel, criação do Cristiano. Ela está com cerca de 20 dias ainda. Depois conto mais sobre ela.


Na foto eu com o Dino Miraglia, do Paradise Valley...na cinofilia desde sempre...rsrs



Na foto a Nenê minha linda, dentro do expen, esperando sua vez...well, that´s all folks

terça-feira, 16 de março de 2010

Como fazer a tala de orelha num filhote

Material:

- Fita japonesa importada (melhor opção, vendida somente pela Vania Telles, ou esparadrapo Cremer (encontrado em farmácia)
- algodão
- álcool
- tesoura

Primeiro passo: Limpar a parte de dentro das orelhas com algodão embebido em álcool 96 graus. Caso o cão esteja com muito pêlo dentro do ouvido, dar uma aparada com a tesoura. Peça ajuda para alguém segurar o cão durante o procedimento.
Segundo passo: Cortar 2 quadradinhos da fita ou esparadrapo com cerca de 2 x 2cm, depois cortar 2 retângulos da fita ou esparadrapo com cerca de 5 x 2cm.
Terceiro passo: Colar os quadradinhos na parte interna da orelha, acima do conduto auditivo, conforme a foto:



Quarto passo: Pegar os 2 retângulos de fita ou esparadrapo e juntar as 2 extremidades de cada um deles, deixando a parte colante para o lado de fora. Fica com a aparência de um círculo.
Quinto passo: Colar cada um dos retângulos em cima dos quadradinhos que já estão em cada orelha e dobrar a parte superior (ponta da orelha) por cima. O resultado final deve ficar como na foto em seguida:

   

Após o término do procedimento, massagear as orelhas na parte onde está colada a fita (ou esparadrapo) para melhorar a aderência. Deixar por cerca de 8 dias e trocar a tala, sempre limpando bem qualquer resíduo da cola do material usado. Manter estar tala até o final da troca dos dentes.

sexta-feira, 12 de março de 2010

SOHO VENCE ESPECIALIZADA DA RAÇA SHELTIE

Black Gold Von Kempten, ou SOHO, filho dos meus Jack e Jazz e de propriedade da amiga Janaína, venceu a exposição especializada da raça, realizada hoje, dia 12 de março, pelo Kenel Clube de Atibaia e Bragança. Não preciso dizer o quanto estou contente e realizada. Na foto a Jana, o handler Élcio e claro, o Soho bonito em sua estréia nas pistas com 11 meses.  :o)

quarta-feira, 10 de março de 2010

Exposição Kenel Clube São Paulo

Vai se realizar dia 20 de março, sábado, no Espaço Tancredo, Av. Tancredo Neves, 600, a partir das 8:30 da manhã. Vão julgar a raça Sheltie: Patti Smith (EUA), Hassi Assenmacher (Alemanha) e Antonio Dalle Piagge (Brasil). Compareçam!

domingo, 7 de março de 2010

Campeonato de Agility Américas e Caribe adiado

 Retirado do site: http://www.agilitybr.com.br/ - publicado em 02/03/10
"Devido ao forte terremoto que atingiu o Chile semana passada o Américas e Caribe 2010, que seria realizado entre 18 e 21 de março, daqui há 15 dias, teve que ser adiado.
Em uma reunião com as autoridades Municipais de Viña del Mar, os responsáveis pelo ginásio, a organização do A&C e os patrocinadores foram informados que o local em que será realizada a competição deverá passar por uma avaliação de engenheiros, para saber se a estrutura não sofreu danos.
Uma vez que o ginásio de Viña del Mar seja liberado para a realização de eventos esportivos a CCA (Comissão Chilena de Agility) marcará uma nova data para o A&C 2010, que deverá ser já no mês de abril.
No comunicado enviado pela CCA nossos amigos Chilenos agradeceram toda solidariedade e que aguardam todos para agradecer pessoalmente toda preocupação."
Texto de Fabiano Estigarribia

Vale ressaltar que o Brasil tem 04 duplas inscritas representando a raça Sheltie. Uma na categoria Mini e três na Midi. Também temos um árbitro brasileiro convidado para julgar lá: o Dan Wroblewski.
Faço votos que o importante evento ocorra brevemente. :o)

sábado, 6 de março de 2010

Lindo...

"Somos sempre nós que abandonamos os cães, na natural ingratidão com que sacrificamos as melhores e maiores afeições, aos interesses e conveniências. Não tenho notícia de cachorro que  houvesse, de vontade própria, se separado do dono, abandonando o amigo, por mais negra que fosse a miséria que com ele partilhasse.

O homem é diferente. É a criatura que mais depressa e com a maior facilidade esquece as amizades. A natureza humana é muito ordinária. E ainda há gente que emprega a palavra "cão" como insulto, como injúria!.."

Autoria: Vivaldo Coaracy

segunda-feira, 1 de março de 2010

Nina


Esta semana perdi a minha pequenininha Nina. Com quase 11 anos, se foi por causa de um tumor, que ficou escondido, sem sintoma algum. De alguma forma ela teve sorte, pois 2 dias antes de ela falecer eu a vi, e ela brincava, comia, vinha pedir carinho, petisco...não parecia doente de forma alguma. Pelo menos a passagem foi rápida.
A Nina e a Luly vieram pra mim em 2001, com quase 2 anos de idade. Foram importadas do canil Okie´s por um criador de outra raça que ia começar com Shelties, mas desistiu quando se deparou com a necessidade de realização de inseminação, controle adequado do cio, entre outras coisas. Resolveu vendê-las e me procurou.
Muito quietinhas, as duas foram unha e carne a vida toda. A Nina era uma excelente matriz, muito carinhosa e devotada, tinha ninhadas grandes e fortes, chegando inclusive a amamentar e cuidar de filhotes de outras cadelas. Entre seus filhos está a campeã mundial de agility Blanka e a minha campeã Bya. Nina era calma, preguiçosa, obediente e adorava rolar na grama feito doida. De vez em quando arrumava uma encrenca, mas não sabia bater e apanhava, o que lhe gerou algumas "recordações" , entre elas uns dentes quebrados...rs...mas ela não estava nem aí!
Foi uma Sheltie muito digna e linda. Tive sorte que ela veio parar na minha casa, era para ser minha...

Saudade da minha menininha...

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Humanizando os cães

De alguns anos para cá, venho percebendo um movimento crescente e preocupante de elevação dos cães à categoria de "gente". Esse fenômeno surgiu basicamente por dois motivos:
- Mudança dos padrões e relações familiares atuais. Antigamente o parceiro e os filhos eram o centro das atenções e das preocupações de um indivíduo adulto, e a presença de um animalzinho, vista mais como diversão para os filhos pequenos.  Hoje nem todos se encaixam nesse antigo modelo "pré-fabricado" de vida. Muitas pessoas não encontram ou mesmo não querem um parceiro (ou têm um que mal fica em casa!), os casamentos duram pouquíssimo (deixando os filhos com apenas um dos pais a maior parte do tempo), muitos casais que não podem ter ou optam por não ter filhos ou por atrasar ao máximo sua vinda, os filhos que saem cada vez mais tarde de casa, mas ao mesmo tempo, cada vez mais cedo dedicam-se a atividades fora do lar. O tempo que a família fica junta, realizando "trocas" de amor e atenção, se perdeu sobremaneira em quantidade e qualidade.
- Status. Ter um animal de determinada raça, e pagar uma quantia muitas vezes alta por ele é "sinal" de sucesso e garantia de aceitação em alguns meios sociais para muitas pessoas. É como ter aquele amigo "descolado" e carismático que te põe pra dentro das festas, faz gente que nunca chegaria perto de você numa situação normal se aproximar, flertar, etc. Mesmo que seja para pagar alguém para cuidar do animal e nem ao menos tocá-lo (vide aumento dos serviços leva-e-traz de banhos, entrega de ração e produtos, os passeadores, hotéis especializados, day-cares, etc), como por exemplo colocar um enorme Bernese num apartamento de 70 metros quadrados só por que a raça está na moda (verdadeiro absurdo) apenas para sair com ele de bandana no domingo no Ibirapuera e se exibir por uns 40 minutos.
Enfim, podemos citar inúmeros exemplos, mas basicamente o que se vê é que a necessidade de afeto e aceitação DE UM SER HUMANO que está se transferindo para um animal. É inegável que a dedicação inconteste de um animalzinho e sua dependência em termos de receber comida, higiene, educação e passeios nos faz sentir importantes e amados. Mas não podemos esquecer que eles não são e nunca serão humanos e nunca substituirão um ser humano em nossa vida.
Eles não são um produto com garantia de fábrica, podem ficar doentes (especialmente os de raça, e quanto mais pura e mais selecionada, pior!), ter reações inesperadas, têm interação limitada com o ser humano (afinal não é um deles!), têm uma vida curta e quando chegam à velhice passam por TODAS as mazelas que os "velhos" humanos passam. Outro dia consolei uma senhora que perdeu seu Sheltie de 11 anos dizendo: "fica 1 semana com o meu que está com 15 e vc vai ficar aliviada que o seu se foi com 11 (uma idade avançada para um cão), rapidamente e sem dor." Creio que ela me entendeu.
Cães não têm nossas necessidades estéticas, de luxo, de especificidade alimentar, de sexo, de aceitação social, não fingem, não são hipocondríacos, não sofrem por antecipação, não se apaixonam, entre outras coisas que tenho visto, ouvido e ficado preocupada (com os donos). Eles agem instintivamente, são simples e práticos. Querem fazer parte de uma matilha e se sentirem protegidos por ela. Comer, beber, brincar, garantir seu lugar na hierarquia, cuidar de sua cria, isso é que tem na "mente" de um cão. Mesmo quando você achar que ele está fazendo alguma coisa por que "adora" te agradar, pense de novo...releia acima e veja que ele apenas está fazendo uma das atividades: comer, beber, brincar, etc, etc...que ELE gosta muito. Não estou escrevendo isso para criar polêmica ou desanimar. Senão eu mesma não seria uma criadora, mas minha intenção é desmistificar e tentar mostrar que cruzar a linha que separa um animal de um ser humano pode vir a ser decepcionante a longo prazo.
Comprar um cão e conviver com ele vai lhe trazer momentos maravilhosos, mas por favor, deixe ele ser um cão! Vocês dois vão ficar muito mais satisfeitos, pode ter certeza.