quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Cães grandes convivendo com pequenos

Sempre me perguntam se há problema adquirir um Sheltie para conviver com um cão de grande porte, já existente na residência do interessado, dividindo um mesmo espaço. É o tipo da coisa delicada. Particularmente sou contra e prefiro não vender. Já tive um acidente de ataque de minha Rottweiler e perdi uma linda matriz importada, episódio que me deixou arrasada por semanas. Uma Kuvasz também levou a Sheltie de um amigo a óbito.  A Golden do amigo de um cliente, mordeu gravemente numa brincadeira brusca, um filhote que vendi. Também tive um episódio de numa brincadeira, 2 cães de raças e tamanhos diferentes se chocarem ao correrem um pra cada lado. Resultado: grave fratura de uma pata dianteira do menor.  Isto só para citar alguns casos. Os ataques são absolutamente imprevisíveis. Podem SIM ocorrer entre cães que aparentemente convivem de forma harmônica. Um dia um acorda de mau-humor e desconta no outro, também pode atacar para tentar defender o que considera seu (comida, brinquedos, entre outras coisas), por ciúme, etc.  Também existe a possibilidade de ocorrer o que chamamos de "agressividade redirecionada", que ocorre por exemplo quando os cães de dentro da casa, querem brigar com um que esteja passando próximo ao portão. Na impossibilidade de atacar o alvo, o cão ataca quem está mais perto dele, ou seja, o outro cão da casa. Em todos esses casos, quando se trata de brigas entre cães de mesmo porte e em pé de igualdade ainda vai, mas imagine se estivermos falando de um cão de 40 quilos versus um de 10? É de se esperar que o resultado seja realmente catastrófico. Portanto, ao me perguntarem se acho possível a convivência a longo prazo, minha resposta é NÃO. Cuidado também com hotéizinhos e day-cares que não fazem distinção de porte de cães ao hospedá-los e recreá-los. Cães de tamanhos diferentes devem ser criteriosamente separados para evitar acidentes.  São cuidados simples que evitam situações muito desagradáveis, dispendiosas e muitas vezes demasiadamente tristes...

Nenhum comentário:

Postar um comentário