quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Quando o Sheltie não é unanimidade

É engraçado para quem é completamente apaixonado pela raça, se dar conta que nem todo mundo se adapta ou é cativado por ela. Foram três casos em quase 13 anos de criação, mas mesmo assim me marcaram.
O primeiro foi um episódio inicialmente bem chato que depois acabou se tornando uma feliz coincidência.
Uma linda cadelinha sable-merle, bem pequena e voluntariosa. Logos aos 35 dias foi escolhida por uma moça, para ser companheira dela e de seu marido. Levada para sua nova casa, foi devolvida após quase 1 semana, por ser "muito barulhenta". Consegue imaginar uma alegre filhota de 50 dias que não se expressa? Não? Nem eu! Eles a trocaram por uma Maltesa.
Sorte minha e da Kátia! essa cadelinha é a mega-multi-master campeã de agility Blanka!
O segundo caso me fez desistir de vez de doar filhotes a amigos. Quer um Sheltie? Compre!
Dei uma cadelinha bem pequena a uma amiga. Inicialmente ela adorou, mas logo adquiriu também uma Shar-Pei, raça notadamente encrenqueira e teimosa. Depois de adulta, passou a tentar atacar a Sheltie e a opção da pessoa foi manter a Shar-Pei e devolver a Sheltie. Soube depois que um outro Shar-Pei foi adquirido, sinal que eles curtiram a raça. A Sheltiezinha foi castrada e doada a uma família, e hj está muito bem, obrigada. Já desses Shar-Peis citados só ouço sobre os inúmeros problemas de pele, o cheiro forte, hiperplasia de vulva, entrópios, etc. Ô raça zicada!
O terceiro caso é de uma psicóloga que comprou ao mesmo tempo uma linda Sheltie azul e uma Dachshund, optando 1 ano depois por manter a Dachs e se desfazer da Sheltie (comoooooooo??????? rsrsrs).
Dá pra entender???? Gosto não se discute...

2 comentários:

  1. Digamos que, no segundo caso, cada um tem o que merece...rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Dasch? Por Sheltie?
    Trocas absurdas!
    hehehe

    Beijo Cris!

    ResponderExcluir